À descoberta dos Mais Belos Castelos de Portugal. Portugal Blog

Blog de Viagens-Europa

descoberta-castelos-de-portugal

À Descoberta dos Mais Belos Castelos de Portugal

Portugal é um dos países mais ricos do mundo em História. E parte dessa História está marcada nos seus belos castelos que se encontram em cada recanto português. De cariz militar, foram construídos para defender as fronteiras contra espanhóis e mouros, representando autênticas fortalezas que agora simbolizam a luta pela Pátria. De alguns, já degradados pelo tempo, apenas restam vestígios. Mas outros mantém-se tão imponentes que roubam a atenção de qualquer turista que por ali passe.

Estes são os 6 mais belos castelos portugueses que, desde sempre, nos apaixonaram.


Castelo de Bragança

No extremo nordeste de Portugal encontramos a bonita cidade de Bragança. Esta região remota e montanhosa oferece cenários únicos de paisagens naturais de flora e fauna autóctone, povoadas por vilas históricas repletas de história e tradição. Aqui podemos passear pelo Parque Natural de Montesinho, uma das zonas florestais mais selvagens da Europa, e provar uma das gastronomias mais caraterísticas e intensas. E, a completar este cenário bucólico arrebatador, destaca-se o seu belo castelo, um dos mais bem preservados em Portugal.

São escassos os dados relativos à primitiva cerca defensiva aqui erguida, que poderá ter sido edificada ainda no reinado de D. Afonso Henriques. Terá sido, posteriormente, no reinado de D. Sancho I, que a estrutura foi melhorada, explicando a fundação da cidade de Bragança em 1187 e as primeiras doações destinadas à sua fortaleza, registadas em 1188. Estratégica zona periférica do reino, o seu castelo foi sendo melhorado, nomeadamente com a construção da bela Torre de Menagem.

Hoje em dia, este castelo é visitado por milhares de turistas e as suas muralhas, em forma de coração rodeando a cidadela e na margem do Rio Fervença, oferecem vistas incríveis sobre a cidade que foi evoluindo para lá destas cercas. Dentro da fortaleza está instalado o Museu Militar e, do alto dos seus muros, avistam-se as serras de Montesinho, da Sanábria, de Rebordões e de Nogueira.


Castelo de Guimarães

Aqui nasceu Portugal. Conhecida como “Berço da Nação” após D. Afonso Henriques a ter declarado a capital do Reino aquando da vitória na Batalha de São Mamede (1128), é uma das cidades mais simbólicas do país. Este local medieval e encantador é um autêntico labirinto de vielas sinuosas, ladeadas por casas antigas e decoradas com estatuária, que nos conduzem ao seu centro histórico, tendo já sido classificado como Património Mundial da Humanidade pela UNESCO.

O seu imponente castelo em forma de escudo domina todo o horizonte. Terá sido construído no século X, pela Condessa Mumadona, estando intimamente ligado à fundação do Condado Portucalense e às lutas pela independência de Portugal. Daí em diante, obras de diferentes épocas foram reforçando a capacidade defensiva do edifício que se tornou vulgarmente conhecido como o berço da nacionalidade. Considerado monumento nacional desde 1910, os visitantes podem caminhar ao longo das suas imperiosas muralhas e visitar a pequena capela romântica de São Miguel. Cada torre deste castelo respira história e patriotismo, sendo ponto obrigatório de turistas estrangeiros em visita pelo nosso país.


Castelo de Óbidos

A pitoresca vila de Óbidos guarda séculos de história entre as suas muralhas. Com um vasto património de arquitetura religiosa e vestígios histórico-monumentais, a vila que foi habitada por reis e rainhas é lugar obrigatório para milhares e milhares de turistas vindos dos quatro cantos do mundo.

Esta vila muralhada encontra-se sobre um modesto penhasco, à beira de um extenso areal, que se estende até à orla marítima. Sendo uma vila medieval, apresenta-se na sua mais bela forma como um autêntico museu carinhosamente conservado, de altivas e seguras muralhas, ruas tortuosas, casas pintadas de cores alegres com plantas que trepam as paredes e janelas repletas de coloridos jarros de flores. A casa passo somos transportados até ao passado áureo de Portugal.

O castelo de Óbidos avista-se ao longe. E quando entramos nas suas muralhas, parece que entramos num conto de fadas. Ganhe fôlego e vença os degraus das escadarias encostadas à Porta da Vila para conseguir contemplar uma vista panorâmica única. Estas muralhas têm cerca de 1,5 km e durante todo o percurso que pode percorrer existem deslumbrantes muradouros que cativam o coração. Autênticos quadros bucólicos que nem o mais famoso dos pintores conseguiria eternizar. Dentro deste castelo realizam-se imensas atividades em várias alturas do ano e aí está instalado um dos melhores hotéis de Portugal.


Castelo de São Jorge

Este é um dos maiores orgulhos lisboetas. O castelo de São Jorge ergue-se em posição dominante sobre a mais alta colina do centro histórico da capital de Portugal. Conhecido originariamente por Castelo dos Mouros, desde muito cedo foi um espaço aprazível para a ocupação humana, datando do século II a. c. a primeira fortificação conhecida. Habitado pelos mouros, foi posteriormente tomado por D. Afonso Henriques após um cerco de 3 meses. As portas foram, assim, abertas aos cristãos, tendo sido transformado no Paço Real.

Este castelo foi sofrendo intervenções ao longo dos séculos, tendo sido considerado Monumento Nacional em 1910. Com uma encantadora cidadela composta por 11 torres do castelo, jardins e uma inspiradora paisagem, é fácil compreender os motivos que levam este icónico castelo a ser um dos monumentos mais apreciados no nosso país. Aqui, consegue sentir o mais puro ar de Lisboa, descansar sobre a relva e observar o imenso e belo horizonte através dos seus miradouros, descobrindo uma das melhores vistas de Lisboa e o encantador Rio Tejo que, pacientemente, vai seguindo o seu percurso até ao mar.


Castelo de Almourol

Este é um dos castelos mais impressionantes de Portugal e, talvez, o mais desconhecido para a maioria dos portugueses. Perdido na genuína ruralidade do nosso país, este castelo ergue-se numa pequena ilha, no meio do Rio Tejo. Toda esta paisagem confere-lhe uma aura tão mística e enigmática que é difícil acreditar que existe mesmo.

Este castelo é um dos símbolos máximos da luta Cristã. Mas as suas origens são bem mais antigas. Pensa-se que esta pequena ilha já era habitada no tempo da ocupação romana. A partir do século VIII foi ocupada pelos muçulmanos que a terão conquistado aos visigodos. Quando aqui chegaram os cristãos movidos pela Reconquista Cristã da Península Ibérica, em 1129, já o castelo existia sob o nome de “Almorolan”. D. Afonso Henriques conquistou-o e entregou-o à guarda da famosa Ordem dos Templários, que o reconstruiu e lhe atribuiu fortificações templárias, com o intuito original de proteger os cristãos. A conclusão desta reconstrução data de 1171, segundo a inscrição existente sobre o portão principal.

Finda a Ordem dos Templários e terminada a necessidade de defesa do território, este emblemático castelo acabou por cair no esquecimento, tendo sido recuperado pelo espírito Romântico do século XIX. Hoje em dia, este castelo ainda permanece incólume às multidões que acorrem a Portugal anualmente, pelo que será a melhor altura para o admirar.


Castelo dos Mouros

Sintra, lugar que desde sempre inspirou reis e poetas, está repleto de palácios únicos que nos cortam a respiração de tão belos e misteriosos que são. Deste cenário único e de simbiose perfeita entre paisagem natural e história de Portugal, sobressai o impressionante Castelo dos Mouros. Erguido no alto de um maciço rochoso e sobranceiro à Serra de Sintra, das suas muralhas de longos caminhos de ronda e entre penedos e penhascos, admiramos a paisagem arrepiante de envolvência rural, que se estende desde a serra até ao Oceano Atlântico.

A sua primitiva fortificação data dos anos da invasão da Península Ibérica por parte dos muçulmanos. Foi, posteriormente, conquistado aquando da Reconquista Cristã e ampliado. E após séculos de esquecimento, foi já no reinado de D. Fernando II, no século XIX, que foi transformado em ruínas românticas e numa das principais caraterísticas dos famosos jardins do Palácio da Pena.
Ainda hoje o Castelo dos Mouros preserva o charme de uma ruína antiga, de muralhas altas e espetaculares, em torno de uma floresta densa e absolutamente bela.

E se é um explorador dos mais belos locais de Portugal, e fã das rotas menos turísticas do nosso país, não pode perder o nosso Guia dos locais mais relaxantes de Portugal. Estas férias, “desligue”, “descontraia” e parta à descoberta!

Catarina Portela

Catarina Portela

Quer reservar um circuito à sua medida?

ou precisa da nossa ajuda? Fale connosco
* Os campos assinalados são de preenchimento obrigatório.
Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao visitar o site está a consentir a sua utilização.
Conheça a nossa Política de Privacidade e de Cookies aqui.