Blog de Viagens-Ásia

10-razoes-para-visitar-o-uzbequistao

Uzbequistão? 10 Razões para Viajar já!

Quando pensamos num destino para passar férias, o Uzbequistão possivelmente não é o primeiro país na sua lista de lugares de sonho para passar férias. Mas, na verdade, este país por onde antigamente passava a antiga Rota da Seda, sempre ligou o Oriente ao Ocidente e, como tal, merece uma visita ao território por onde passaram nomes como Ciro, Alexandre - O Grande ou Gengis Khan.

O Uzbequistão pode não estar no topo da sua lista, mas garantimos que depois destes pequenos grandes tesouros que temos para lhe mostrar vai querer reservar já o seu bilhete para Thaskunt, a emblemática capital desta nação, liderada por Shavkat Niziyayev.

Este antigo estado da União Soviética (alcançou a sua independência em 1991) está incrustado em plena Ásia Central. Este país conta com uma herança cultural diversa, tendo recebido fortes influências do Império Turcomano e Russo. A maioria da sua população é muçulmana e é cercado por terra, ficando bem perto do famoso Mar Aral que é praticamente um deserto. Para além do território oficial, o Uzbequistão possui os enclaves de Sokh e de Iordan, no Quirguistão, um dos países com o qual faz fronteira.

O Uzbequistão, que tem um clima deserto continental (o deserto de Kyzyl Kum e as montanhas de Pamir Ocidental são os principais pontos orográficos do país) e vários pontos de interesse que deverá visitar pelo menos uma vez na vida. Estas são 10 razões que o vão surpreender e o vão fazer querer viajar já para um destino ainda à parte das multidões turísticas!

 

Tashkent

Com 2.2 milhões de habitantes, a capital do Uzbequistão é a principal cidade da Ásia Central. Esta cidade, que começou como um pequeno oásis junto do rio Tchirtchik, tem um serviço de metropolitano – cujas estações se assemelham a autênticos palácios – e um aeroporto internacional. Em Tashkent não pode perder: a Madraça e Mesquita de Khast Imam (que guarda fragmentos do mais antigo exemplar do Alcorão), o Palácio do príncipe Romanov (construído pelo grão-duque Nikolai Konstantinovich, neto do Czar Alexandre III da Rússia) ou o Museu de Belas Artes do Uzbequistão (este conserva uma extensa coleção artística relativa ao período anterior à presença russa, para além de obras religiosas zoroástricas e budistas).

 

Registan (Samarcanda)

Esta praça, que está rodeada por duas incríveis madraças (escolas onde se ensina o Alcorão), apresenta peculiarmente desenhos de animais, facto que constitui uma violação à lei Islâmica que afirma que não devem ser representados animais vivos. Para além das madraças, em Registan existe, também, uma sumptuosa mesquita que apresenta uma grande delicadeza no detalhe.

 

Mausoléu de Gur-Emir (Samarcanda)

O túmulo do Tamerlão (o último conquistador turco-mongol da Ásia Central) é um fantástico exemplo da arte turco-tártara. Este edifício, da cor da terra e cheio de mosaicos, tem dois minaretes e o seu exterior pode ser visitado durante a noite.

 

Mesquita de Bibi Hamin (Samarcanda)

Samarkanda é a segunda maior cidade do país e guardar ainda mais um segredo: a mesquita de Bibi Hamin. Esta foi mandada construir pelo Tamerlão, em 1399, em honra da sua mulher, Bibi Hamin. Até ao ano de 1897, altura em que se registou um grande sismo, esta era uma das maiores e mais impressionantes mesquitas do mundo islâmico. Este edifício é um dos mais emblemáticos da cidade e contempla, na sua entrada, um arco de 35 metros e um corão em mármore que é lido do alto do minarete, onde o almuada anuncia as cinco chamadas diárias para a oração.

 

Itchan Kala

Esta cidade muralhada foi a primeira do Uzbequistão a ser considerada como Património da Humanidade. Este belíssimo lugar, que mais parece retirado de um cenário dos filmes de Indiana Jones, é um autêntico museu ao ar livre. Itchan Kala, que dentro das suas muralhas tem madraças e vários outros edifícios, existe, segundo documentos, desde o século VI e. por isso, ao passear pelas suas ruas vai sentir-se como se estivesse a viajar no tempo… até uma época muito distante.

 

Mesquita Poi Kalyan (Bukhara)

Esta mesquita (e o minarete Kolon) foi mandada construir em 1514, no local onde outrora havia uma outra mesquita que foi destruída pelos mongóis (a existência deste grupo étnico está datada desde o século VIII). A Poi Kalyan, com uma grande cúpula e azulejos azuis, tem à sua frente um espaço amplo que todas as sextas-feiras e domingos se unem para orar. Aqui conseguem reunir-se cerca de 10 000 pessoas.

 

Monumentos de Shah-i-Zinda (Samarcanda)

Esta é, possivelmente, uma das mais belas necrópoles do mundo. Shah-i-Zinda situa-se na base de uma colina baixa e contém um conjunto de mausoléus que apresentam os melhores exemplares da sofisticação da azulejaria muçulmana. Uma das figuras notáveis que se encontra nesta necrópole é Qusam ibn-Abbas, primo do profeta Maomé, que levou a religião para esta região no século VII.

 

Moschea Bolo-khauz (em Bukhara)

Esta mesquita foi construída em 1712 pelo Emir Shakhmurad. O Emir edificou-a, segundo a lenda, para poder estar junto da população enquanto esta estava a rezar. Esta mesquita tem um texto trabalhado em madeira e colunas decoradas com elementos florais e geométricos. Em frente, encontra-se um pequeno lago artificial onde o edifício é encantadoramente refletido. Tal como nos outros locais de culto muçulmanos, é necessário tirar os sapatos antes de entrar.

 

Moynaq

Esta antiga cidade, que se encontra a sul do mar Aral, é atualmente um cemitério de barcos. Moynaq, que fica no oeste do país, tem apenas alguns milhares de habitantes, facto que a qualifica como a "cidade fantasma". O número populacional desta cidade decresceu bastante devido ao desastre ecológico do mar de Aral (aliás, esta foi a cidade mais afetada por esta errónea situação). A população que sobrou na cidade está envolvida com a indústria do algodão, sendo o sexto maior país do mundo neste setor.

 

Festival “Silk and Spices” (Bukhara)

Este festival da seda e das especiarias é muito famoso, repleto de música e dança. Aliás, há centenas de anos atrás, chegavam a este local caravanas provenientes da Ásia e da Europa. Neste festival apresentam-se diferentes grupos que representam uma instituição diferença da cidade. E, no final, cada um destes grupos compete no mesmo palco. Esta celebração vai acontecer de 26 a 27 de maio.

 

E para descobrir os tesouros mais bem guardados que o Uzbequistão tem para oferecer, junte-se ao nosso circuito "O melhor do Uzbequistão" e conheça esta amável terra, digna das famosas "Mil e Uma Noites"!

Filipa Godinho

Filipa Godinho

Não encontrou o que estava à procura?

ou precisa da nossa ajuda? Fale connosco
* Os campos assinalados são de preenchimento obrigatório.
Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao visitar o site está a consentir a sua utilização.
Conheça a nossa Política de Privacidade e de Cookies aqui.